Comissão Própria de Avaliação – CPA

 

De acordo com o artigo 11 da Lei 10.861 de 14 de abril de 2004, as instituições de ensino superior devem constituir a Comissão Própria de Avaliação – CPA.

Suas atribuições contemplam a condução dos processos de avaliação interna da IES, da sistematização e da prestação das informações à comunidade acadêmica e à sociedade civil. A CPA foi instituída pelo SINAES – Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior, e seu objetivo é o de assegurar o processo nacional de avaliação das instituições de educação superior, dos cursos de graduação e do desempenho acadêmico dos estudantes (ENADE). Assim, ao coordenar a autoavaliação, a CPA atua buscando produzir conhecimentos, colocando em questão o sentido do conjunto de atividades e finalidades objetivadas pela Instituição; identificando as causas de seus problemas e deficiências; aumentando a consciência pedagógica e a capacidade profissional do corpo docente e técnico-administrativo; fortalecendo as relações de cooperação entre as diversas comunidades; e julgando acerca da relevância científica e social de suas atividades e produtos.

 

Conheça os Objetivos da Auto-Avaliação

 

Buscar compreender os significados do conjunto de suas atividades para melhorar a qualidade educativa e alcançar maior relevância social.

Rever e aperfeiçoar, constantemente, o projeto acadêmico e sócio-político da Instituição, promovendo a permanente melhoria da qualidade e pertinência das atividades desenvolvidas.

Utilizar com ética e eficiência os recursos e humanos e materiais da Instituição para que sejam traduzidos em compromissos científicos e sociais.

Com a autoavaliação pretende-se a construção de conhecimento da realidade da Instituição. Para tanto, se sistematiza e analisa informações, bem como corrige rumos, eleva a qualidade das diversas atividades desenvolvidas, buscando aperfeiçoar a organização, a efetividade das ações e estratégias de superação de problemas.

Trata-se, pois, de uma atividade fundamental para busca da excelência educacional. Sendo assim, a CPA fomenta a autoavaliação como prática cultural da Instituição, oportunizando a participação das comunidades envolvidas, buscando assim a sensibilização para a participação democrática, em favor da dignidade humana.

 

Dimensões a Serem Avaliadas

 

De acordo com o artigo 3 da Lei 10.861/04, a avaliação das instituições de educação superior deverá contemplar no seu processo avaliativo interno as dez dimensões seguintes:

  1. Missão e planos de desenvolvimento institucional;
  2. Políticas para ensino, pesquisa, extensão e pós-graduação;
  3. Responsabilidade social da instituição;
  4. Comunicação com a sociedade;
  5. Políticas de pessoal (docentes e técnico-administrativos) e carreiras;
  6. Organização e gestão;
  7. Infraestrutura física (de ensino, de pesquisa, biblioteca, etc.);
  8. Planejamento e avaliação (autoavaliação);
  9. Políticas de atendimento aos estudantes, incluindo egressos;
  10. Sustentabilidade financeira.
#iguru_soc_icon_wrap_61a612ff6f092 a{ background: transparent; }#iguru_soc_icon_wrap_61a612ff6f092 a:hover{ background: transparent; border-color: #003b70; }#iguru_soc_icon_wrap_61a612ff6f092 a{ color: #acacae; }#iguru_soc_icon_wrap_61a612ff6f092 a:hover{ color: #ffffff; }