O que é CPA?

 

CPA – Comissão Própria de Avaliação é a comissão que realiza o processo contínuo de autoavaliação institucional.

 

Como é composta a CPA?

 

Presidente

Representante docente

Representante técnico administrativo

Representante discente

Representante da Sociedade Civil

 

Como funciona?

 

São disponibilizados questionários de pesquisa com a função de levantar dados avaliativos periodicamente.

 

Quem participa?

 

Os discentes, docentes técnicos-administrativos e comunidade externa.

 

Quem instituiu a avaliação do Ensino Superior?

 

A lei nº 10.861 de 14 de Abril de 2004 institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES – que dita as bases para a avaliação interna.

Art.1º Fica instituído o Sistema Nacional de Educação Superior – SINAES, com o objetivo de assegurar processo nacional de avaliação das instituições de educação superior, dos cursos de graduação e do desempenho acadêmico de seus estudantes, nos termos do art. 9º, VI, VIII, IX, da lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

 

Quais são as três modalidades da SINAES?

  1. Avaliação Institucional
    • Autoavaliação  (CPA)
    • Avaliação externa
  2. Avaliação de cursos de graduação

Avaliação do desempenho de estudantes (ENADE)

Quais as bases para a avaliação?

 

A base está nos 5 eixos norteadores do processo avaliativo apresentados pela SINAES atendendo 10 dimensões. 

  • EIXO 1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL
  • EIXO 2 DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL
  • EIXO 3 POLÍTICAS ACADÊMICAS
  • EIXO 4 POLÍTICAS DE GESTÃO
  • EIXO 5 INFRAESTRUTURA FÍSICA

 

Dimensões

  1. Missão e PDI.
  2. Políticas para o ensino, a pesquisa e a extensão. 
  3. Responsabilidade social. 
  4. Comunicação com a sociedade. 
  5. Políticas de pessoal. 
  6. Organização e gestão da instituição. 
  7. Infraestrutura física. 
  8. Planejamento e avaliação. 
  9. Políticas de atendimento ao estudante. 
  10. Sustentabilidade financeira.

Princípios do SINAES

  • Responsabilidade com a qualidade e com o compromisso social.
  • Reconhecimento da diversidade e respeito à identidade.
  • Respeito à identidade, à missão e à história das instituições;
  • Globalidade, isto é, compreensão de que a instituição deve ser avaliada a partir de um conjunto significativo de indicadores de qualidade, vistos em sua relação orgânica e não de forma isolada;
  • Continuidade do processo avaliativo.

Semana de Sensibilização

Comunicação de impacto para toda comunidade interna sobre as atividades da autoavaliação institucional planejadas para o ano. 

O objetivo desta etapa é despertar o interesse das pessoas para conseguir a adesão de todos a participarem efetivamente da avaliação, através do envolvimento de coordenadores de curso na divulgação junto às turmas. 

Avaliação

Artigo 11° São etapas do processo de autoavaliação institucional na FAAMA: 

Etapa 1 – Planejamento: Envolve ações prévias ao processo de entrevistas como atualização dos membros da comissão (quando necessário); análise das metodologias aplicadas nas avaliações anteriores; datas de aplicação, dentre outros.

Etapa 2 – Sensibilização: A sensibilização deve ser um processo contínuo tanto nos momentos iniciais quanto na continuidade dos processos de avaliação, pois sempre haverá novos alunos, professores ou técnicos administrativos iniciando sua participação no processo.

Etapa 3 – Questionários: A autoavaliação será realizada por meio de Sistema Informatizado, e contará com a participação de toda a sociedade acadêmica (professores, acadêmicos, técnicos-administrativos), os quais responderão aos questionários.

Etapa 4 – Coleta e análise de dados: São os dados e informações coletadas de forma quantitativa e qualitativa em período pré-definido: Processamento, tabulação, perfis e formatação de sínteses para diferentes discussões e públicos e análise de consensos e contradições.

Etapa 5 – Apresentação dos resultados: Os resultados, disponibilizados nos relatórios de autoavaliação, oficializam os dados coletados e analisados a serem posteriormente utilizados pelos gestores na elaboração de um Plano de Ação de Melhorias.

Etapa 6 – Elaboração e acompanhamento do plano de ação: É o documento no qual são formalizados os resultados concretos da avaliação, na forma de plano de melhoria, constando indicação objetiva, racional e adequada à instituição de propostas e recomendações de melhorias às fragilidades encontradas, visando subsidiar o processo decisório dos gestores e coordenadores de cursos. 

Etapa 7 – Retorno à comunidade acadêmica: Esta é a etapa que garante a credibilidade ao processo, porque os que participaram diretamente da avaliação e a comunidade interna precisam tomar conhecimento dos resultados da avaliação que atribuíram. Poderão ser usados diversos meios para realização dessa etapa. 

Etapa 8 – Confecção do relatório de autoavaliação institucional: Este documento é de fundamental importância no processo de autoavaliação da instituição porque faz a integração de todas as avaliações setoriais e pontuais desenvolvidas distribuídas nas dez dimensões do Sinaes.

#iguru_soc_icon_wrap_6288d91a1b3e4 a{ background: transparent; }#iguru_soc_icon_wrap_6288d91a1b3e4 a:hover{ background: transparent; border-color: #003b70; }#iguru_soc_icon_wrap_6288d91a1b3e4 a{ color: #acacae; }#iguru_soc_icon_wrap_6288d91a1b3e4 a:hover{ color: #ffffff; }